Perfil

Arquivo pessoal

O jornalista Miranda Sá [08-07-1933] trabalhou em alguns dos principais veículos de comunicação do país como a Editora Abril,as Organizações Globo e o Jornal Correio da Manhã. Recebeu dezenas de prêmios em função da sua atividade na imprensa, como o Esso e o Profissionais do Ano, da Rede Globo.

Fundou importantes publicações no Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Paraíba e Rio Grande do Norte. Foi Secretário de Governo, Assessor de Imprensa, Repórter, Editor e Âncora de programas televisivos. Dirigiu durante três anos a revista ‘Pense Século 21’, de teoria política.

O jornalista também tem uma trajetória política intensa. Idealista, na juventude participou ativamente de grêmios estudantis e foi militante de partidos socialistas. A participação nos movimentos de redemocratização do Brasil rendeu à Miranda três prisões na época da ditadura e ainda um exílio de nove meses em Caracas, na Venezuela. Lá, foi Secretário da “Federación Latinoamericana de Trabajadores de Prensa” – Felatrap, e membro correspondente da “Federátion Internacional de Journalisme” – FIJ.

Com este currículo, Miranda assume o noticiário jornalístico do Blog ao lado da historiadora, musicista e companheira Marjorie Salu, que edita cultura, esportes e humor.

Atualmente Miranda Sá é membro do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) para o triênio 2012-2015.

 

Currículo completo

Aos 11 anos editou um jornal de bairro, à época mimeografado, no Rio de Janeiro. Na juventude, cursando a Faculdade Nacional de Direito, foi secretário da revista Época e diretor da revista da UNE, Movimento.

Começou profissionalmente no jornal Diário Trabalhista e passou por reportagens do A ManhãÚltima HoraFlan,Correio da Manhã. Foi revisor da revista Leitura e colaborou para o jornal Emancipação, todos no Rio de Janeiro.

Em São Paulo trabalhou na Última Hora Santista, no Shopping News e na Editora Abril – revista Realidade – além das publicações femininas e técnicas.

No Espírito Santo atuou na Tribuna Capixaba e em Campina Grande esteve nos jornais Evolução e A União, tendo fundado o semanário Revolução Democrática.

Em 1979 mudou-se para o Rio Grande do Norte onde implantou o off-set daTribuna do Norte e foi secretário de redação. Ainda passou por vários veículos como o Repórter Primeira MãoRádio TrairiTV TropicalO Estado do Rio Grande do NorteGazeta d’Oeste. Fundou o semanário humorístico Arrocha o Colorau e a revista de teoria política Pense Século 21. Nos anos 2000 articulista do Jornal de NatalO Metropolitano e Jornal de Hoje.

A vida política e sindical sempre esteve presente. Foi conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) por três mandatos; membro correspondente da Fédération International de Journalisme (FIJ), e assumiu a secretaria-adjunta da Federación Latino-Americana de Los Trabajadores de Prensa (Felatrap).

Anúncios