Heródoto Barbeiro – Nada a aprender

Nothing to Learn

Não temos o que aprender com os Jogos Olímpicos de Londres. Eles é que tem que aprender conosco. Não foram capazes de gastar toda a verba que o governo destinou para as construções. Devolveram dinheiro para os cofres públicos. São uns incompetentes, não sabem montar uma concorrência pública de forma que ganha a empresa que pagar a maior propina. Não sabem sequer identificar a empreiteira dos amigos, ou aquela que tem um bom caixa dois para injetar dinheiro nas campanhas e no bolso de alguns. Ou a outra que levou governador e esposa para passear em Paris.  Os britânicos desconhecem o instituto do aditivo, ou seja, daquelas novas exigências fictícias que proporcionam aumento substanciais nos valores pagos. Tem muito a aprender e nada a ensinar. Nem mesmo aquela história da pontualidade britânica. Ela é lesiva aos interesses dos que querem levar algum. Entregaram os estádios e as obras de infraestrutura antes do prazo. Um absurdo. Desta forma não dá para declarar emergência e dispensar a licitação pública porque tudo ficou para a undécima hora. São uns quadradões, orientados pelo Big Ben, e com isso não desenvolvem o jeitinho brasileiro, uma das nossas instituições nacionais. É por isso que foram ultrapassados por nós como a quinta maior economia do mundo.

Os britânicos não entendem nada de logística. Fecharam algumas faixas de tráfego, as lanes, para que os veículos possam chegar nos lugares de competição ou nos centros de imprensa. Um desperdício, pintaram as faixas com os anéis olímpicos e alertas que só veículos credenciados podem passar. E os bobocas respeitam. Quem não respeitou pagou uma multa de 130 libras, e nem foi na delegacia de trânsito para alguém quebrar a multa. Não tem criatividade. Não conhecem aqueles carros de polícia pirata, que compram equipamento e põem no carro e se disfarçam de veículos oficiais. Todo mundo sai da frente, para que o pseudo policial passe. Esses ingleses são mesmo um moleirões, não entendem nada de organização de grande eventos. E não aprendem, já sediaram os Jogos Olímpicos três vezes. Até o ônibus chega na hora, é uma chatice. Até permitiram que astros do basquete americano usassem o metrô. Nem cuidar dos amigos sabem.

O prefeito de Londres  é um bonachão. Tem cara de honesto, daqueles que a gente compraria uma bicicleta usada. Talvez por isso a cidade tem muitos pontos com bicicletas públicas que qualquer um pode alugar, usar e deixar em outro estacionamento. Ainda por cima devolvem. Nem depenar uma bike eles sabem. O prefeito se desloca de metrô como se fosse um mortal como outro qualquer, não sabe usar a importância do cargo para desfilar com um carro oficial, com placa Executivo Municipal 001. Nem isso. Motorista particular, batedores, puxa sacos de toda a espécie dão um status melhor para quem governa uma cidade. Abrir mão disso é perder o respeito da população acostumada a ver o alcaide com pompa e circunstância. Por essa e por outra, o Brasil não tem nada que aprender com os britânicos em termos de organização de grandes eventos. Em 2016 vão poder aprender conosco.

Heródoto Barbeiro, escritor, jornalista e âncora do Jornal da Record News às 21h.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s