Artigo das quartas-feiras

A liberdade de imprensa, um chefe de bando e a UNE

MIRANDA SÁ ( E-mail: mirandasa@uol.com.br )

 

Tudo o que se refere à desenfreada corrupção nas esferas do poder é motivo para ataques à imprensa. No caso da CPI do Cachoeira e a decisão do STF em julgar o Mensalão, as investidas contra a liberdade de expressão e de imprensa aumentaram.

Não se leva mais a sério quando partem do PT e dos seus próceres, como Lula, que em seguida à chantagem sobre o ministro Gilmar Mendes, falou que a culpa era da mídia… Agora vem o advogado de Carlinhos Cachoeira, Márcio Thomaz Bastos, declarar em programa de televisão que a imprensa tomou partido contra os mensaleiros e pressiona o STF para condená-los.

Bastos foi ministro da Justiça no governo Lula, é petista de carteirinha e cumpre a tarefa partidária de atacar a imprensa e querer controlar os meios de comunicação e ‘disciplinar’ os jornalistas.

Em salvaguarda da Democracia e dos preceitos constitucionais, felizmente, a opinião pública refuga essas manifestações fascistas, suprapartidariamente e independente de críticas que porventura possam ser feitas a alguns órgãos de imprensa.

Por fim, chegou a vez de José Dirceu, que o procurador-geral da República enquadrou como “chefe de uma organização criminosa”, convocar no congresso da União da Juventude Socialista os jovens ligados ao PCdoB a irem para as ruas defendê-lo e aos seus asseclas.

Ele exaltou a fração que dirige a União Nacional dos Estudantes há 20 anos. Este grupo passou a controlar a UNE inicialmente conquistando a simpatia da massa estudantil com palavras de ordem justas; depois, pelos conchavos comuns à pelegagem e, finalmente por fraudes estatutárias eleitorais e subornos.

É triste ver-se que o nosso País redemocratizado após anos de regime de exceção obrigue-se a suportar essas duas expressões: o manifesto de um pré-condenado, destituído do ministério e cassado no Parlamento, organizando grupos de pressão sobre o Poder Judiciário; e um partido minoritário dominar a UNE.

É inimaginável que uma Nação assista sem reagir tal incitação à desordem social e política e que os estudantes brasileiros de tão caras tradições cívicas, aceitem ser manipulados por pelegos notoriamente comprometidos com a decomposição do poder público.

A mim, particularmente, entristece tal situação. Atuei por 4 anos na UNE e fui diretor da sua revista ‘Movimento’. Nesse período de minha vida, assisti o patriotismo e o desprendimento político-partidário dos dirigentes da entidade máxima dos estudantes brasileiros.

A História da UNE nos orgulhava. Sua tradicional luta pelas liberdades, a ida às praças contra o nazi-fascismo e apoio à FEB; a reconquista do estado democrático de direito após a ditadura Vargas, enfim, impondo-se no mundo político e social.

A minha UNE não era evidentemente a UNE que está sendo investigada pelo Tribunal de Contas da União a pedido do procurador da República, Marinus Marsico, por malversação de verbas.

O Procurador apontou, na UNE, a existência de notas frias para cobrir despesas fictícias, enquanto as notas verdadeiras indicavam despesas disparatadas, como a 

aquisição de bebidas alcoólicas. Isto, até o ano de 2010, porque daí em diante a entidade não apresentou relatórios sobre os convênios de 2011.

São escandalosos e absurdos os contratos promovidos pelo governo Lula para a UNE, principalmente os do MEC, sob Fernando Haddad e do MiniCultura. Destinavam-se à capacitação de estudantes e promoção de eventos culturais…

No caso do MinEsporte (controlado pelo PCdoB) a coisa é imoral. Não há uma só destinação de verbas adequada ou justificável. É de perguntar se a UNE é uma associação para promover eventos culturais e esportivos.

Um respeitável jornalista, Pedro do Couto, colunista da brava Tribuna de Imprensa, escreveu que se apelegando ao poder lulo-petista, a UNE transmudou-se na “bela adormecida” dos contos infantis…

No tuíter, o inteligente @lincedoparque, inseriu um notável pensamento: “Os caras pintadas de ontem são os chapas brancas de hoje”. Falou e disse, mas precisamos acrescentar: é impossível que a massa estudantil siga o corrupto Zé Dirceu e seus cúmplices chapas-brancas que se apossaram da UNE.

Anúncios

2 Respostas para “Artigo das quartas-feiras

  1. Obrigada jornalista MIRANDA SÁ. O país precisa como nunca da voz, da luta de homens sérios, dignos que não se vendem e não se deixam fanatizar.

  2. Sr. Miranda seu artigo é muito esclarecedor, pois é estranho que a pouco mais de vinte anos tive a oportunidade de assistir a maior manifestação de democracia os estudante e jovens de cara pintada pedindo o impeachment do então Presidente Fernando Collor, naquele momento acreditei que o Brasil tinha cura “mas” só foi aquele momento de mobilização nacional depois disso muitos pintaram e boradam e calaram a UNE, obrigado senhor por este grande esclarecimento. Marcos , interior de SP, @marcosserious.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s